Rua Rio Grande do Norte, 1000 | (43) 3471-1950 | 0800-649-3472 | administracao@ivaipora.pr.gov.br
Acessibilidade

Pandemia

Risco de colapso na saúde leva Prefeitura de Ivaiporã fechar comércios não essenciais por 15 dias devido ao Covid-19

Sexta-feira, 26 de junho de 2020

Última Modificação: 13/08/2020 09:23:32 | Visualizada 2504 vezes

O decreto será editado neste sábado, dia 27 de junho, e entrará em vigor na segunda-feira, dia 29.


Ouvir matéria

A Prefeitura de Ivaiporã irá decretar fechamento dos comércios não essenciais por 15 dias – a partir da segunda-feira, dia 29 de junho. A medida foi tomada, nesta sexta-feira, dia 26 de junho, após reunião entre Prefeitura, Departamento Municipal de Saúde (Centro de Operações de Emergência), 22ª Regional de Saúde, Acisi (Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Ivaiporã) e a Promotoria de Justiça, que debateram o aumento de casos positivos de coronavírus (Covid-19) e risco de colapso no serviço de saúde.

A administração lamentou muito pelo fechamento do comércio e considerou impossível editar um decreto para cada setor. Por isso, defendeu que era fundamental preservar o bem maior que é a vida – associada aos serviços hospitalares.

O diretor do Departamento Municipal de Saúde, Claudeney Martins, coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Nilza Fernandes, e o enfermeiro responsável pela Atenção Básica, João Felipe Marques, explicaram que o aumento de casos positivos de coronavírus é preocupante no município, onde foi detectado surto de contaminação nos dias 20 e 21 de junho.

No entanto, os profissionais de saúde informaram que o Covid-19 tem período de incubação de 7 dias. Ou seja, o que remete ao feriado prolongado de Corpus Christi, quando houve aglomerações, descuido da população em relação ao uso de máscaras, higienização das mãos, confraternizações familiares e viagens.

“Para agravar a situação o Instituto de Saúde Bom Jesus [ISBJ] tem 31 funcionários em isolamento domiciliar, o que comprometeu o atendimento de saúde e consequentemente a interrupção de 14 leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva]”, informou Nilza Fernandes. Entre alguns funcionários do ISBJ há profissionais que trabalham na Unidade de Pronto Atendimento, onde 9 pediram atestados.  

Ivaiporã é referência entre os 16 municípios jurisdicionados a 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã – e outras cidades, uma vez que são encaminhados pacientes para Ivaiporã via central de leitos. Com a baixa dos 14 leitos no ISBJ e o afastamento de 31 profissionais de saúde, os atendimentos são encaminhados ao Hospital e Maternidade Ivaiporã, o que compromete a capacidade de resposta no atendimento a qualquer tipo de patologia.

A enfermeira da 22ª Regional de Saúde, Carolina Marton, explicou que o colapso na saúde acontece pela falta de leitos e de profissionais de saúde para atender casos positivos de coronavírus, grávidas de risco e pacientes vítimas de enfarto, acidente vascular cerebral e de trânsitos, por exemplo. Carolina Marton informou que o Hospital Regional tem 5 pacientes com Covid-19 e poderá receber pacientes encaminhados pelo Governo vindos de qualquer cidade do Estado.

Em seguida, houve reunião com responsáveis por bares, lanchonetes e salões de beleza aos quais foram repassadas medidas adotadas pelo poder público. Na ocasião, a equipe de saúde explicou os motivos do fechamento dos serviços não essenciais, que visam salvar vidas. 

O decreto será editado neste sábado, dia 27 de junho, e entrará em vigor na segunda-feira, dia 29.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ivaiporã - Lúcia Lima

 Galeria de Fotos

 Veja Também