Covid-19

COVID-19

Rua Rio Grande do Norte, 1000 | (43) 3471-1950 | 0800-649-3472 | administracao@ivaipora.pr.gov.br
Acessibilidade

Parceria

Prefeitura, Vigilância Sanitária, Sesc e 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã conscientizam população sobre perigo da dengue

Sábado, 27 de novembro de 2021

Última Modificação: 27/11/2021 21:44:53 | Visualizada 120 vezes

Serão instaladas armadilhas (ovitrampas) no município para monitorar o comportamento do Aedes aegypti.


Ouvir matéria

Foi com o objetivo de conscientizar a população que a Prefeitura, Vigilância Sanitária, Sesc e a 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã expuseram larvas do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue chikungunya e zika, na Praça Manoel Teodoro da Rocha, neste sábado, dia 27 de novembro.

As larvas foram recolhidas no Cemitério Municipal. A Vigilância Sanitária alerta a população que não se deve deixar recipientes expostos com água parada nos quintais, terrenos ou em casa. Como exemplo, foram expostos recipientes de animais domésticos para orientar a troca da água com frequência.

Durante a ação as crianças, jovens e adultos foram informados acerca do perigo da picada do bicho barbeiro, que transmite a doença de Chagas; e do escorpião-amarelo, que se adapta rapidamente a esgotos e entulhos, e se alimenta de baratas, por exemplo.

A diretora do Departamento Municipal de Saúde, Cristiane Pantaleão, coordenadora da Vigilância Sanitária, Elaine Nogueira, e a chefe da 22ª Regional de Saúde, Eleane Rother, enalteceram a parceria na ação de conscientização e informaram que serão instaladas armadilhas (ovitrampas) no município para monitorar o comportamento do Aedes aegypti, tornar as ações de combate mais efetivas e controlar a proliferação das doenças causadas pelo vetor.

As ovitrampas (armadilhas) são recipientes que simulam as condições para a reprodução do mosquito Aedes aegypti. São vasos de plantas na cor preta, contendo água parada, onde são colocadas palhetas de madeira com pequenos furos, que servem para que a fêmea do Aedes aegypti deposite ovos.

Substâncias larvicidas são colocadas na água e posteriormente os agentes de endemia avaliam o nível de infestação e se os produtos utilizados eliminam o mosquito.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ivaiporã - Lúcia Lima

 Veja Também